A Menção Presidencial é um RECONHECIMENTO efetuado pelo Presidente do Rotary International aos presidentes dos Rotary Clubs de todo o mundo que cumprirem determinadas metas.

Todos os anos, com a entrada do novo presidente do Rotary International, há uma nova Menção Presidencial, com diferentes desafios. Veja no folheto disponível no link acima quais são essas metas para este ano rotário.

Neste ano rotário o LEMA e a MENÇÃO PRESIDENCIAL estão consolidados.

COMO SE QUALIFICAR

Para se qualificar à Menção Presidencial, os clubes devem completar as duas atividades obrigatórias e atividades adicionais em diversas categorias. A maior parte das atividades será confirmada automaticamente pelos dados do Rotary International, mas algumas serão verificadas com base nas informações que você fornecer no Rotary Club Central.

Para registramos as conquistas dos clubes de forma mais precisa, os clubes, pela primeira vez, terão o ano rotário inteiro — de 1º de julho de 2016 a 30 de junho de 2017 — para alcançar as metas da Menção Presidencial.

Como os governadores de distrito poderão monitorar o progresso de todos os clubes pela internet, peço a eles que mantenham contato regular com seus clubes a fim de ajudá-los a atingir as metas.

Atenção que muitas das informações deverão ser enviadas eletronicamente, através da Rotary Club Central!

Não se esqueça de considerar a Prova Quádrupla ao preencher os dados!


Mensagem do Presidente John Germ:

Durante os últimos 111 anos, o Rotary teve diferentes significados para as pessoas. Por meio da nossa organização, fizemos amizades, trabalhamos pelas nossas comunidades e descobrimos um novo propósito. Nós criamos vínculos, avançamos em nossas carreiras e vivemos experiências incríveis que não poderiam ser encontradas em nenhum outro lugar. Toda semana, nos nossos 34.000 clubes, os rotarianos se reúnem para conversar, trocar ideias e se divertir. Mas, acima de tudo, nós nos unimos com um objetivo principal: servir a humanidade.

Este tem sido o alicerce e a principal finalidade do Rotary. Acredito que, hoje em dia, não exista melhor caminho para servir de forma significativa do que por meio da associação a um dos nossos clubes. Nenhuma outra organização está tão bem posicionada para fazer uma diferença real e positiva no mundo quanto a nossa. Nenhuma outra organização une, de forma tão eficaz, profissionais comprometidos e capazes, das mais diversas áreas, e possibilita que alcancem metas ambiciosas. Por meio do Rotary, temos a capacidade, a rede de contatos e os conhecimentos necessários para mudar o mundo. Nossas únicas limitações são aquelas que impomos a nós mesmos.

Hoje, nossa organização chegou a um ponto importantíssimo, um marco histórico que determinará o que virá pela frente. Juntos, prestamos excelentes serviços humanitários para o mundo; no futuro, o mundo contará conosco para fazer ainda mais. Esta é a hora de aproveitarmos o nosso sucesso: ao alcançarmos a erradicação da pólio, impulsionaremos o Rotary, com determinação e entusiasmo, para que se torne uma força ainda maior em prol do bem.

Uma das lições mais importantes aprendidas na luta contra a paralisia infantil é também a mais simples: para levarmos o Rotary adiante, temos que caminhar juntos na mesma direção. Garantir a continuidade na liderança (nos clubes, distritos e Rotary International) é a única maneira de prosperarmos e atingirmos todo o nosso potencial. Não basta simplesmente conseguir novos associados e formar clubes: nossa meta não é simplesmente um maior número de rotarianos, mas rotarianos capazes de fazer um trabalho de qualidade e com potencial de se tornarem futuros líderes rotários.

No final de sua vida, ao refletir sobre a jornada que o levou a fundar o Rotary, Paul Harris escreveu: “Esforços individuais podem atender necessidades individuais, mas esforços conjuntos visam servir a humanidade. O poder dos esforços conjuntos é ilimitado”. Ele não fazia ideia, na época, que mais de 1.200.000 rotarianos uniriam forças e, por meio da Fundação, recursos para servir a humanidade. Podemos imaginar os grandes feitos que Paul Harris teria esperado do Rotary… É nossa responsabilidade concretizá-los, e é nosso privilégio continuar a tradição de colocar o Rotary a Serviço da Humanidade.

John Germ
Presidente do Rotary International, 2016-17